Live – Como usar a tecnologia a seu favor

Live – Como usar a tecnologia a seu favor

Live – A idealizadora do Falando em Nuvem, Carol Lagoa, juntamente com a advogada Larissa Paz  (@maravilhadodireito) farão uma live hoje, às 19h para dar didas de como usar a tecnologia a favor dos seus negócios.

Fiquem ligados nas nossas redes

 

E na sua opinião…

Você tem usado a tecnologia contra ou à favor dos seus negócios?

 

 

+++ 50 Aplicativos Para Aumentar A Produtividade Na Construção Civil
Big Data chega ao Big Mac

Big Data chega ao Big Mac

O big data parece ter aterrissado no McDonald’s. A rede de fast food anunciou a compra de uma empresa de inteligência artificial, a Dynamic Yield. A empresa é focada em sistemas de personalização automáticos.
Com a nova aquisição o McDonald’s espera criar menus interativos e personalizados para agradar os clientes. A intenção é oferecer, por exemplo, bebidas e sobremesas de acordo com o tempo. E das recomendações de sanduíches de acordo com outro item que o cliente tenha selecionado ou com base no que é mais vendido nos restaurantes da rede. Em 2018, foram realizados vários testes em restaurantes nos EUA.

Para implementar os algoritmos, a Dynamic Yield vai precisar monitorar uma grande quantidade de dados.  Desde a temperatura, o horário da compra e o histórico de venda de cada restaurante da rede. Todos os dados são cruzados e analisados. Isso é o que chamamos de big data.

+++Celulares Dobráveis – Foi Dada À Largada

A rede

Atualmente, McDonald’s conta com 38 mil restaurantes em mais de 100 países.

Mais tecnologia

É preciso dar um salto tecnológico para se manter na vanguarda, e oferecer experiências ao cliente.
Uma das grandes inovações nessa área de fast food, no entanto vem da parceria entre a chinesa Alibaba e o KFC. Essa parceria que em 2017 implementou um sistema de reconhecimento facial em que o pagamento era efetuado com um sorriso (Smile to Pay)

Já o restaurante Wow Bao de Chicago implementou um sistema que detecta clientes fidelizados na fila e um menu interativo personaliza as opções favoritas do cliente.

 

Mc TEC na prática

 

O Mc não deve implementar nada muito elaborado neste início. O foco agora é usar a tecnologia nos drives da rede nos Estados Unidos para diminuir filas.
De acordo com assessoria de imprensa, a tecnologia vai permitir ao McDonalds ser uma das primeiras empresas a integrar tecnologia que ajuda decisões em pontos de venda físicos.
Em 2020, a tecnologia deve expandir para os restaurantes da rede fora dos Estados Unidos. Será que chega aqui no Brasil?

“Quando se servem 68 milhões de clientes todos os dias, a nossa capacidade para aprender com os seus comportamentos e traduzir isso em tecnologia é imbatível”, disse o presidente executivo do McDonalds, Steve Easterbrook.

+++Inteligência De Dados: Como O Consumidor Se Comporta No Dia A Dia Através Da Geolocalização

MC NEGOCIAÇÃO

Os valores da negociação, mas estima-se que os valores tenham ultrapassado os 300 milhões de dólares.
É a maior aquisição da empresa em 20 anos, desde a compra da cadeia de restaurantes de frango frito Boston Market em 2000.
Já a Dynamic Yield desenvolve algoritmos para recomendar produtos e serviços desde 2011.

Falando em Nuvem… games, privacidade e autismo

Falando em Nuvem… games, privacidade e autismo

Games, privacidade e autismo –  A nuvem é a bola da vez e será por muito tempo.

Os jornais de hoje trazem três notícias, sendo dois artigos, interessantes sobre clouds e streaming.

‘Cloud computing’ e privacidade – OESP

Jogos vão mudar as telecomunicações – Folha SP

Disney, AT&T e Comcast X Apple, Netflix e Amazon – OESP

 

Os dois primeiros artigos  debate como a nuvem deve mudar o comportamento das pessoas, seja em relação a sua privacidade em um ambiente colaborativo, ou em sua interação de laser ao ter acesso as super-anunciadas plataformas de games streaming.

 

Já a terceira, sobre o Netflix, mostra como gigantes estão se estruturando para comprar ou competir com a plataforma queridinha das séries e filmes. Que só é possível devido à nuvem.

 

Tudo na nuvem.

Além de ser uma ferramenta marcada pela disrupção e relativa convergência, as clouds atuam como meio de empoderamento do usuário, na medida em que estimulam o armazenamento descentralizado em vários dispositivos, bem como viabilizam o acesso em qualquer lugar, formatação e em larga escala.

O Estado de S. Paulo

 

Para marcar o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autista, a imprensa toda e as redes sociais vão falar sobre o tema.  O Estado de S. Paulo traz uma matéria interessante sobre como a tecnologia está sendo usada para ajudar no desenvolvimento dos pequenos com autismo.

É isso pessoal do mundo da Tecnologia. Todos diferentes, mas com alguma coisa em comum: Amor e Respeito.

Boa terça-feira

 

Carol Lagôa

 

 

OPINIÃO

O ESTADO DE S. PAULO – ‘Cloud computing’ e privacidade

A economia compartilhada tem como uma de suas marcas a projeção disruptiva de novas formas de bens e serviços, cuja principal característica envolve a mudança de paradigmas e estruturas físicas. Dentre elas, a computação em nuvem ou cloud computing representa um formato inovador na transferência, armazenamento e compartilhamento de dados, que por meio da superação das limitações impostas pelas camadas físicas, permite conferir exponencialidade à gestão de informações sob o controle dos usuários.

 

 

 

NETFLIX

O ESTADO DE S. PAULO – Disney, AT&T e Comcast X Apple, Netflix e Amazon

Quem iria comprar a Netflix? Rumores a respeito aumentavam em sintonia com a própria ascensão das gigantes do streaming na década passada. Apple, com suas grandes reservas de dinheiro sempre era citada como uma pretendente. Talvez a Amazon, ou grandes distribuidoras como AT&T e Comcast. A certa altura, afirmam fontes do setor, Bob Iger, da Disney, chegou a perguntar ao patrão da Netflix, Reed Hastings, se ele veria com bons olhos uma oferta de compra (Hastings disse não).

 

 

 

APP

O ESTADO DE S. PAULO – Aplicativos ajudam no desenvolvimento de crianças e adolescentes com autismo

Celebra-se nesta terça-feira,2, o Dia Mundial da Conscientização do Autismo. Neste ano, a Organização das Nações Unidas (ONU), que criou a data em 2007, lembra do dia a partir do tema “Tecnologias assistivas, participação ativa”, em referência a programas que podem ajudar no processo de aprendizagem de crianças e adolescentes que se encaixam nessa condição. Conheça alguns deles logo abaixo.

"Para muitas pessoas com transtornos de espectro autista, o acesso a tecnologias assistivas é um pré-requisito para poderem exercitar os direitos humanos básicos e participarem integralmente da vida de suas comunidades", declarou a ONU, em mensagem sobre o dia. "Tecnologia assistivas podem eliminar a barreira de participação", completou.

“Para muitas pessoas com transtornos de espectro autista, o acesso a tecnologias assistivas é um pré-requisito para poderem exercitar os direitos humanos básicos e participarem integralmente da vida de suas comunidades”, declarou a ONU, em mensagem sobre o dia. “Tecnologia assistivas podem eliminar a barreira de participação”, completou.

 

 

+++ Inteligência De Dados: Como O Consumidor Se Comporta No Dia A Dia Através Da Geolocalização

 

 

SEM ACESSO

FOLHA DE S. PAULO – Fora do ar

Os telecentros são espaços públicos que oferecem acesso gratuito à internet. Espalhados pela capital, eles estão sob a responsabilidade da Prefeitura de São Paulo.

 

 

+++  CELULARES DOBRÁVEIS: FOI DADA A LARGADA

 

COLABORAÇÃO

FOLHA DE S. PAULO – A comunidade que construiu sua própria rede wi-fi

A África do Sul tem uma das maiores taxas de popularização da internet no continente africano. Mas, apesar disso, habitantes de lugares remotos ainda não estão conectados. As duas principais barreiras são os preços e a acessibilidade.

GAMES

FOLHA DE S. PAULO – Jogos vão mudar as telecomunicações

Usando o próprio navegador Chrome, passa a ser possível jogar games complexos como “Assassin’s Creed” pela internet, via streaming. O jogo fica na “nuvem”, e todos os comandos e respostas são transmitidos pela rede em tempo real.

As análises sobre o novo produto afirmaram: “O Google Stadia mudará para sempre a indústria de games e como as pessoas consomem jogos”. Está certo. No entanto, na verdade esse modelo vai mudar para sempre toda a indústria de telecomunicações e como as pessoas se conectam à internet.

As análises sobre o novo produto afirmaram: “O Google Stadia mudará para sempre a indústria de games e como as pessoas consomem jogos”. Está certo. No entanto, na verdade esse modelo vai mudar para sempre toda a indústria de telecomunicações e como as pessoas se conectam à internet.

As análises sobre o novo produto afirmaram: “O Google Stadia mudará para sempre a indústria de games e como as pessoas consomem jogos”. Está certo. No entanto, na verdade esse modelo vai mudar para sempre toda a indústria de telecomunicações e como as pessoas se conectam à internet.

 

 

Inteligência de dados:  como o consumidor se comporta no dia a dia através da geolocalização

Inteligência de dados: como o consumidor se comporta no dia a dia através da geolocalização

No começo dos anos 2000, os cookies eram as grandes estrelas do marketing digital. Não, não estamos falando sobre biscoitos. Na verdade, os cookies são um pequeno conjunto de linhas de código que são inseridos no navegador que o usuário utiliza para acessar a internet. O papel deles é criar um registro com informações básicas como endereços IP, preferências de idiomas e até itens que foram abandonados na cesta de compra de um e-commerce.

Com essas informações, os donos de e-commerce tiveram a oportunidade de criar experiências mais personalizadas para o usuário. Um item foi largado no carrinho? Que tal enviar um e-mail para quem o abandonou oferecendo um desconto? Acessaram um produto, mas não fecharam a compra? Basta investir em anúncios digitais expondo o mesmo produto para o cliente.

Por isso, durante muitos anos, o varejo físico se manteve em desvantagem estratégica. Embora fosse possível acessar um raio-x completo sobre o comportamento da clientela no mundo digital, o mundo offline continuava sendo uma incógnita.
Mas aí chegou o mobile e virou o jogo. O dispositivo está presente em todos os momentos de tomada de decisão do consumidor, assim, gerando insights valiosos sobre como criar uma experiência adaptada às vivências do usuário.

Computadores de bolso

Inteligência de dados: o mobile é a bússola do comportamento offline.
No passado, se conectar à internet era um verdadeiro ritual. Todas as suas atividades eram pausadas em prol de ligar o computador e acessar seus sites preferidos. Com o avanço da tecnologia, a computação se tornou cada vez mais acessível, rápida e barata. Foi assim que os celulares evoluíram de meros aparelhos de telefonia para verdadeiros computadores de bolso – possibilitando que as pessoas se conectassem à internet sem a necessidade de pausar as suas tarefas.

+++ Apple TV+, Cartões, Games E Notícias

Assim, a coleta de informações sobre o comportamento do consumidor deixou de se limitar ao momento de interação entre as pessoas e o desktop. Agora, os smartphones armazenam dados valiosos sobre como o público interage com o mundo. Por isso, a inteligência de dados se transformou em uma verdadeira arma secreta para o varejista turbinar a experiência dos seus clientes no meio offline.

Existem muitas opções de dados no mercado. No entanto, os dados de geolocalização se destacam quando o assunto é prover inteligência para o varejo físico. Saber, por exemplo, qual loja da concorrência é a preferida do público é uma informação valiosa para construir estratégias de fidelização.

Geolocalização que influencia o varejo

Vamos supor que você é dono de uma rede de farmácias. Você sabia que o fluxo de visitas a esse tipo de estabelecimento cresceu mais de 40% no início do verão em 2019 em relação ao mesmo período de 2018? Esse tipo de informação estratégica só foi extraída graças à análise de dados de geolocalização de mais de 60 milhões de celulares espalhados por todo o Brasil. Ao levar o dado em consideração, o empresário do setor farmacêutico pode investir em aumentar o estoque de itens indispensáveis para o verão como água, protetor solar e bronzeador, por exemplo.

Quando se fala de inteligência de dados para os diferentes segmentos do varejo, as possibilidades são praticamente infinitas. É possível usar essas informações para gerar insights para momentos de tomada de decisão de negócios, criar campanhas publicitárias de mídia geolocalizada, otimizar o fluxo de visitantes das lojas, enriquecer a experiência do consumidor no mundo offline, … O céu é o limite!

Por isso, antes de recorrer à inteligência de dados, delimite bem qual é o seu objetivo. Você precisa atrair mais clientes para as suas lojas? Investir em brand awareness? Entender a evolução das visitas aos pontos de venda durante o ano? Após esclarecer o seu objetivo, recorra à estratégia que encaixa-se melhor com o seu desafio. Seu negócio agradece!

Fonte – Assessoria de Imprensa

Celulares dobráveis – foi dada à largada

Celulares dobráveis – foi dada à largada

Celulares dobráveis: foi dada a largada!!
Fevereiro fechou como mês oficial para o lançamento dos celulares do futuro: os aparelhos dobráveis.

As gigantes asiáticas Samsung e Huawei foram as empresas que fizeram mais barulho nesse segmento, seguidos pela TCL que apresentou cinco protótipos diferentes, sendo um deles que se molda ao redor do pulso, podendo virar um relógio.

ÁSIA SAI NA FRENTE

  

A Startup chinesa Royole foi a primeira empresa a comercializar um modelo dobrável – em dezembro de 2018 entrou no mercado o Royole FlexPei. As críticas não foram muito favoráveis, dando a impressão de ser uma versão beta, sem dobrar totalmente, o que o torna quase impossível de ser guardado em um bolso.

Já a sul-coreana Samsung chegará no mercado em segundo lugar. O Galaxy Fold será lançado em abril de 2019 e parece ter uma tecnologia mais amadurecida, com a promessa de (além de dobrar totalmente) ter desempenho de PC, oferecendo ao usuário utilização de até 3 aplicativos ao mesmo tempo.

O Mate X da chinesa Huawei também é um dos mais aguardados (e mais caros!). Está prometido só para o segundo trimestre de 2019 e vem com tela de cinema, a maior de todas até agora, com 8 polegadas (quando aberta).

  

MISTÉRIO

 

O Samsung Galaxy Fold, apresentado nos Estados Unidos, e o Huawei Mate X, apresentado na MWX em Barcelona, ficaram em redomas de vidro e não puderam nem ser testados, nem fotografados de perto. Esse mistério todo não é um bom sinal, indicando que pode ser que a tecnologia ainda não esteja totalmente validada.

RETARDATÁRIOS

Motorola e LG estão atrasados, ainda em fases de registro de patente, sem data de lançamento de modelos com essa tecnologia. Existem rumores de um revival do Motorola Razr (que foi febre 14 anos atrás) mas sem confirmação.

Já a Apple (também atrasadinha) promete o seu dobrável só para 2020.

+ + Apple TV+, Cartões, Games E Notícias

SAMSUNG GALAXY FOLD

  • Tela principal:7,3″ QXGA+ AMOLED Dinâmica (4,2: 3);
  • Tela externa:4,6″ HD+ Super AMOLED (21: 9);
  • Câmera externa:10 MP (f/2.2);
  • Câmera traseira tripla:
    • Ultra-Wide: 16 MP (f/2.2);
    • Wide-Angle: 12 MP (f/1.5 + f/2.4) com Estabilizador Óptico de Imagem (OIS);
    • Zoom óptico: 12 MP (f/2.4) com Estabilizador Óptico de Imagem (OIS);
  • Câmera frontal dupla:
    • Selfie: 10 MP (f2.2);
    • Profundidade RGB: 8 MP (f/1.9);
  • Processador:octa-core de 64 bits 7nm;
  • Memória:12 GB de RAM;
  • Armazenamento:512 GB (UFS 3.0), sem espaço para cartão MicroSD;
  • Bateria:380 mAh;
  • Lançamento:26 de abril de 2019;
  • Preço:€ 2.000.

 

HUAWEI MATE X

 

  • Tela:
    • Aberta: 8″ (2480 × 2200 pixels) OLED;
    • Frontal (dobrada): 6,6″ (2480 × 1148 pixels) OLED;
    • Traseira (dobrada): 6,4″ (2480 × 892 pixels) OLED;
  • Processador:Kirin 980 octa-core (2,6 GHz);
  • Memória:8 GB de RAM;
  • Armazenamento:512 GB (expansível com cartão NM de até 256 GB);
  • Câmera tripla:
    • Principal: 40 MP;
    • Ultrawide: 16 MP;
    • Telefoto: 8 MP;
  • Bateria:500 mAh com carregador de 55 watts;
  • Lançamento:segundo trimestre de 2019;
  • Preço:€ 2.299.
+ + Robôs Inovam O Mercado Com O Uso Da Expertise Humana

Quem arrisca não petisca, mas o problema de arriscar comprando essas belezinhas é que os preços são bem salgados (girando em torno de 10 mil Reais) e ainda não há como prever se o movimento de dobrar constante vai fazer com que a tela fique marcada pelo uso.

Fontes:

https://olhardigital.com.br/noticia/celulares-dobraveis-um-guia-dos-smartphones-flexiveis-lancados-ate-agora/83161

https://oglobo.globo.com/economia/tecnologia/celular-com-tela-dobravel-vira-tendencia-mas-resta-duvida-vale-pena-23478986